quinta-feira, 26 de junho de 2008

A CRIAÇÃO NA VISÃO NORTE-AMERICANA

Segue a tradução da Narração do Álbum The World in your eyes por J. Reuben Silverbird, que retrata uma visão nativa norte-americana da Criação

É o começo...

O Criador da Terra criou as estrelas
Ele pegou água em sua boca e esguichou acima até o Céu
Mas, na primeira noite Suas estrelas não tinham a luz suficiente
Então, ele pegou um cristal de quartzo, e quebrou nela,
E o arremessou em minúsculas peças até acima do
Céu Para misturar com a água e as estrelas desde então, houve luz suficiente
Raios de Sol impregnaram a Terra
E, desta maneira uma milagrosa união, descendência
celestial estava nascendo
Nosso povo passou a chama-los
Pai Céu e Mãe Terra

Desde o começo Mãe Terra e Pai Céu foram sempre se mudando
Como fumaça ao vento
Eles poderiam se manifestar em qualquer forma no futuro
Eles mudavam a si próprios
Até o homem e a mulher
Na beira de cada mundo
Campos, plataformas de montanhas separavam campos de outros campos

E Mãe Terra declarou :

Devo ser um lar para as minhas pequeninas crianças.
Através de meu peito eles devem tirar líquidos e alimentarem-se
Nuvens brancas devem flutuar sobre estas
Grandes Águas e , ao redor do mundo
As nuvens devem estar firmes e repartidas pelo frio do
Pai Céu Vertendo para baixo em jatos de chuva
A água da Vida, até os lugares de desfiladeiros de meu corpo
Espécies humanas e criaturas estarão aconchegadas do frio.
Ao entardecer as árvores nas altas montanhas
Próximas as nuvens e Pai Céu
Abaixam em direção a Mãe Terra para calor e proteção.

Calor é mãe Terra Frio é Pai Céu Alinhado como a mulher é quente
E o homem o ser frio
Estações chegariam e viriam distintas e diferentes como seus nomes

Primavera
Verão
Outono
Inverno

As estações se articulam e formam o círculo da vida para o nosso povo acompanhar
Tudo o que os nativos americanos fazem
é num círculo é porque o poder do mundo sempre trabalha em círculos
Assim, enquanto o arco sagrado não quebra o povo floresce

No interior da floresta
Quando a noite está negra
Enquanto a Terra descansa
A coruja permanece em guarda
Seus olhos incandescentes empoleiram-se ao alto mostrando a silhueta da Lua
E caçando as estrelas
A Estrela da manhã está de pé
O cheiro de doces trevos vestem os campos
A floresta surge viva
Saboreia-me Eu sou o Vento
Veja-me Eu sou o Urso que fica no Oeste
Toque-me
Eu sou o cinzento e magro Alce Dançando na floresta
O rio é a vida
Suas águas geladas espirram espumas de água
através das montanhas em direção à superfície

O arco-íris vislumbra no nevoeiro que vem apagando as águas cristalinas

O que é a vida ?
Ela é o clarão dos vaga-lumes na noite
É a respiração do búfalo no tempo do inverno

O que é a morte ?
É um inexorável bater do Sol Formando raios
Queimando abaixo o solo do deserto

Você é chuva
E você pode trazer fertilidade
Ou pode trazer destruição
Você pode fazer com que o arco-íris venha com toda a sua gloria esplendorosa
com suas cores vívidas e coloridas
Você sente facilidade para tocar

Sim, você é a chuva
Você traz a vida para plantas e flores
Para as cachoeiras sem fim
Rios, correntezas que fluem

Você é chuva
O rio corre para o mar
O movimento do Oceano
É como o coração batendo de vida
E profundamente abaixo é o silencio do Universo
Como dentro de nós mesmos

Nós somos parte de todo o universo
O centro do Oceano é como nossa consciência profunda
E o arrebentar das ondas são nossos pensamentos
Chegando de fora para o nosso interior profundo
Vida do Oceano trazendo vida para as Terras Grandes nuvens de águias,
evantem-me com seus ventos
Tragam-me para a entrada da Terra.

Senhor do Céu
Que voa próximo ao Grande Espírito
levante-me com seus ventos
Até acima do mundo
Deixe-me ver onde você me leva
Deixe-nos vivos na casa da harmonia
Que através de minha cabeça possa ser feliz
Que por meus pés possa ser feliz
Que onde que eu esteja, possa ser feliz
Que tudo ao meu redor possa ser feliz
Eu sou belo e lindoTudo é beleza à minha volta.