segunda-feira, 31 de março de 2008

O VAGA-LUME E AS ESTRELAS

Conta uma lenda Indígena que um dia uma moça jovem estava caminhando e olhando para as estrelas em uma noite muito, mais muito bela...

Ela caminhava e ia admirando aquele povo magnífico que parecia de comunicar com ela ali em baixo...

Ela então percebeu que a medida que andava uma estrela se apagava, e lágrimas começaram a descer por entre seus olhos...

Ela assustada parou de olhar para as estrelas e então foi quando viu uma luz piscar bem longe...


Seria um sinal?Não, era um pequeno e inofensivo Vaga-lume que brilhava em meio a noite...


Quando ela estava se aproximando do pequeno ser que brilhava, ela não pode acreditar...
O Vaga-lume parou em sua mão e lhe disse:


- Querida por favor não chore, as estrelas não estão morrendo, faz parte de um grande ciclo de renascimento, aquela estrela que não brilha mais pode um dia se tornar novamente uma forte, imponente e brilhosa estrela.
A menina assustada perguntou ao Vaga-lume:

- Mais como isso é possível?E o vaga-lume lhe disse:

- Pode lhe parecer estranho, mais nós os pequenos vaga-lumes somos as estrelas que brilharam amanhã, mais isso está ficando cada vez mais difícil, pois os seres humanos parece terem perdido seu amor.

A menina indignada novamente o questiona e lhe pergunta:

- Mais porque você diz que os seres humanos não amam mais?
- Pode parecer estranho pra você minha querida, mais a cada vez que o ser humano olha para um pequeno vaga-lume e o ama de verdade, eu e outros iguais a mim podemos se transformar em uma Grande Estrela no Céu, mais parece que realmente o destino das Estrelas é doloroso, parece que aqueles que nem você não sabem mais a importância do Amor, não sabem mais amar.


E o pequeno Vaga-lume foi seguindo a sua viajem, quando a menina de coração meigo deixou cair uma lágrima de seus olhos.

Emocionada com a história que acabará de ouvir, virou suas costas e seguiu seu caminho correndo para contar a seu pai.

Chegando em casa disse ao seu pai (pajé da tribo) o que tinha acontecido.
Ele com lágrimas nos olhos disse a pequena menina:
- Olhe para o auto minha querida e veja as estrelas, e se alguma brilhar para você significa que a sua missão foi cumprida.

- Então a menina olhou, olhou e olhou e nenhuma estrela piscava.

Chorando ela disse ao seu Pai:
- Pai parece que não sei amar os outros, parece que meu coração está frio.

O pai então disse a ela:

- Filha a sua oportunidade é agora, pois me parece que o pequeno Vaga-lume gostou de você.

E então o pequeno vaga-lume se aproximou novamente da menina, pousou em sua mão e uma pequena lágrima dos olhos da menina caiu nele.

E então a pequena menina foi pegá-lo em sua mão, quando percebeu que não havia mais nada ali.Preocupada ela perguntou ao seu Pai:

- Pai o que houve com o vaga-lume?

- Nada minha pequena, agora a sua missão esta cumprida, olhe para as estrelas e veja.
A menina olhou e com um sorriso no rosto pode perceber que aquele pequeno vaga-lume se tornará uma grande estrela.

(Conto Indígena adaptado por Anand Milan)


E assim somos nós, eu mesmo pude experimentar um sentimento indescritível quando pela primeira vez escutei esse conto.

Eu experimentei as duas emoções quando avistei o pequeno ser de luz, o medo e a alegria, mais hoje me alegro pois a compreensão disso chegou aos meus olhos assim como o sol chega em cada manhã.

Já se passou muito tempo desde quando escutei esse conto, mais hoje digo com todo o amor e carinho que cada pessoa que passa na minha vida é um pequeno vaga-lume que brilha, mais muitos não acreditam, poucos dão valor ao conto, mais isso pouco importa, o que importa é o que sinto, é o que vejo. Nenhum vaga-lume pode se transformar em estrela se não tiver alguém que olhe para ele e trate-o com amor.


Nascemos....

Somos crianças...

Nos tornamos jovens...

Encontramos amigos...

Experimentamos a nossa sexualidade...

Tristezas e alegrias surgem...

Medo e coragem...

Nos tornamos adultos...

Responsabilidades...

Trabalho...

Filhos muitas vezes...

Novos momentos...

Novas pessoas...

O tempo passou...

E continuamos os mesmos...

Nenhuma mudança significativa...

Perdemos tempo demais...

A noite vem chegando...

Não ah mais o que fazer...

Só resta mesmo é chorar...

Se entregar...

Morrer...

Mais um ser de luz vem...

Encontra aquele que se perdeu...

Leva esperança ao seu coração...

Você renasce...

Agora é só AMAR.


(Anand Milan)

quinta-feira, 27 de março de 2008

O QUE É UM CACHIMBO SAGRADO? E PARA QUE SERVE?


Conhecido por muitos como "Cachimbo da Paz", trata-se de um instrumento sagrado, de muito poder que a milênios é usado pelos nativos para elevar as preces, propósitos, intenções e agradecimentos ao Grande Espírito (Deus).
Os antigos índios costumavam reunir toda a tribo para esse ritual com o intuito de resolver problemas ou pendências da comunidade formando um grande conselho; antes e depois de caçadas ou guerras, para agradecer às graças recebidas como uma colheita farta, pedir em oração uma ajuda para os momentos difíceis ou ainda para passar instrução para os mais jovens e assim muitos o fazem até hoje.
Os índios do Norte costumam chamá-la de Pipa Sagrada ou Chanupa e sua estrutura é dividida em duas partes: a parte onde vai o tabaco geralmente é feita de pedra ou de barro representando o Feminino, e o corpo, por onde passa a fumaça é feito de madeira, geralmente adornado com penas, contas, couro representa o masculino. Essa conexão representa o equilíbrio e a harmonia entre as duas partes, e desta maneira harmoniza também aos que se dispõe a fumá-la, tanto que ao acendê-la e quem a recebe, antes mesmo de falar, toma-se uma benção com a fumaça, levando-a para cima da cabeça e logo ao coração.
É muito importante lembrar que a fumaça do tabaco usado neste ritual não pode ser tragada, pois ela deve subir pura, para que os Espíritos do Grande Mistério as entenda com clareza e desta forma não fará mal algum para quem a estiver fumando. O uso do tabaco foi desvirtuado pelo homem da civilização e como toda a medicina pode fazer muito mal para quem não dá o devido uso.



COMO ELE TERIA SURGIDO?


Existe uma lenda que diz que dois homens caminhavam juntos e derrepente uma linda mulher vestida de branco lhes apareceu. Um deles a olhou com desejo, e por isso morreu no mesmo instante. O Outro, a olhou com admiração, como quem olha algo lindo e sagrado. Ela se apresentou como a MULHER BÚFALO BRANCO e pediu que ele levasse um recado para a sua tribo, reunindo-os dentro do TEMASKAL (tenda do suor) onde ela apareceria novamente para lhes passar mais instruções sagradas.
E desta menira foi feito: Quando ela finalmente apareceu, apresentou-lhes o Cachimbo sagrado, a medicina do tabaco e a maneira em que ele deveria ser empregado: Para unir a tribo em oração, rezando e pedindo por tempos melhores diante das dificuldades e agradecendo pelas bênçãos. Seria uma maneira poderosa de falar ao pé do ouvido do Grande Espírito.



COMO ELE PODE E DEVE SER USADO?


Obviamente, um(a) carregador(a) de Pipa poderá fumá-la quando achar necessário, ainda que esteja sozinho(a). Porém, costuma-se dizer que mais de uma pessoa rezando aumenta a potência dos propósitos. Literalmente a União faz a força!
Para realizar este este ritual as pessoas sentam em um círculo onde geralmente existe uma fogueira no centro e só fala quem estiver com a Pipa Sagrada na mão, limitando aos demais apenas a ouvir, o que é também um exercício maravilhoso.
Além de ser uma bela maneira de se expressar, pode-se aprender muito com o que cada um diz em seu momento. É possível perceber que numa Roda de Cachimbo algumas pessoas se curam falando se seus problemas individuais e ao dividí-los com o grupo, o que era sem solução torna-se uma coisa leve e fácil de resolver. Alguns assuntos abordados podem fazer parte do momento de muitas pessoas presentes, e quando é o contrário, amplia a percepção de quem nunca havia se dado conta que tal coisa é passível de acontecer. Como todos que participam da roda esperam o seu momento de falar, é normal pensar em um assunto ao qual abordar; e não é raro que antes de chegar-lhe a palavra outra pessoa fale exatamente o que você pensava em dizer.
Agradecer às bençãos e aos pedidos realizados é importante, porém tudo o que se pede deve ser feito com muita consciência para não corrermos o risco de quando o pedido se realizar nos darmos conta de que não era bem isso que queriamos. Esta prudência evita perdermos tempo e energia no que não vai nos servir.



Cachimbo Sagrado


Nas várias tradições e culturas da Humanidade sempre encontramos alguma forma de oração, esta forma simples, sincera e eficaz de conexão. Orando estamos alinhando nossos corações com nosso espírito, corpo, mente, toda a Criação e Caminho de Beleza e Abundância que está disponível a cada um de nós.

Através da oração somos capazes de entender os mais variados matizes de energia disponíveis no Universo, do qual fazemos parte e podemos estar acessando em nossas vidas. Orar também é introspecção, meditação, é aquele momento em que rezamos também a nós mesmos, buscando respostas em nossa sabedoria que, silenciosa, manifesta-se neste momento de conexão.O meio científico também tem relevado o poder da oração. Quando nos recolhemos, meditamos e rezamos reduzimos o ritmo respiratório, cardiovascular e a adrenalina. Se estamos em grupo, podemos nos beneficiar das histórias de todos, encontrando eco para sanar nossas próprias vidas.

Orar em grupo também oferece apoio mútuo para combater temores, incertezas e tristezas, sentimentos estes que causam ou agravam enfermidades e que podem ser aliviados através da oração, beneficiando todo nosso organismo e nosso ser em vários níveis.

Há milhares de anos homens e mulheres oram sozinhos, em círculo, em família, em tribo, nação, com e para a natureza. Na tradição nativa norte-americana uma das medicinas de oração mais poderosas e curativas encontra-se no Cachimbo Sagrado.

Para os Sioux, por exemplo, o Cachimbo Sagrado, Chanupa Wakan, é uma medicina de cura sagrada ancestral, recebida pela lendária Mulher Novilho Búfalo Branco. É composto de duas partes sendo uma o fornilho, confeccionado em pedra e representando o feminino, e a haste em madeira, que representa o masculino. Temos, assim, dois objetos sagrados que ao serem unidos no momento de rezar, tornam-se um só ser, honrando as forças de toda a Criação.

Na cerimônia de Cachimbo Sagrado, oram todos juntos. Através de mantras nativos e da fumaça do tabaco, reverencia-se as quatro direções sagradas (oeste, norte, leste e sul), o céu, a terra, o povo das estrelas e todos os reinos com os quais temos relações. Também são estabelecidos propósitos de cura e agradecimento. O tabaco é sagrado para praticamente todas as tradições nativas das Américas, como sendo um veículo de proteção, cura, comunicação e reverência ao Grande Espírito, às forças e energias.

A oração tem um poder de cura muito forte, proporcionando um reencontro com nossos propósitos pessoais, e acima de tudo, de uma grande tomada de consciência em relação ao sagrado em nossas vidas, a nossa ligação com esta terra mãe que nos carrega em seu solo, ao céu e todo o cosmos ao qual estamos inseridos. Orando juntos entendemos que somos todos parentes, que somos todos um.

Os anciões dizem que rezar deve ser a coisa mais importante a fazermos em nosso dia. Quando estamos com raiva, não devemos reagir enraivecidos. Quando estamos indecisos, devemos nos recolher, e se estamos com medo, devemos antes de qualquer outra coisa ORAR.

Falam os nativos que "o guerreiro que reza antes pode levar uma vida diferente daquele que reza depois".


Fonte.: www.xamanismo.com

A Mulher Novilho Búfalo Branco


Lenda da Mulher Búfalo BrancoUm dia, dois jovens guerreiros Sioux estavam caçando nas pradarias do Minesota. Ao subirem uma colina em busca de caça, eles foram surpreendidos ao verem uma jovem mulher, muito bonita surgir diante deles numa nuvem. Retendo o fôlego, eles a observavam. Ela trajava vestes feitas de corça branca. Levava a tiracolo uma sacola de pele e uma pele de búfalo em uma das mãos.

Uma pena de águia, trançada nos seus longos cabelos negros, reluzia à luz do sol.


Não tema, " disse a mulher, " eu trago paz e felicidade para vocês. Agora me falem, por que vocês estão longe de sua aldeia?"


A graça a beleza dela, incendiou o guerreiro mais velho com pensamentos lascivos, que calou-se. O mais jovem, então respondeu:-


" Nossa aldeia está com falta de comida. " Nós estamos caçando ".


-" Aqui, " ela disse, " leve de volta este pacote aos seus. Diga para os Chefes das sete fogueiras da sua tribo, para reunirem-se na fogueira do conselho e esperarem por mim.


"Ao escutar essas palavras, o mais velho deu voz ao seu desejo de acasalar-se com ela, ali mesmo na pradaria, debaixo do sol. No momento em que o guerreiro mais velho tentou agarrá-la, a mulher envolveu-o na pele de búfalo. Uma nuvem envolveu o corpo dele, e quando o pó assentou, no lugar do guerreiro havia um esqueleto recoberto de vermes. Foi então que Mulher Búfalo Branco, falou ao jovem guerreiro:


-"O homem que olha primeiro a beleza exterior de uma mulher, nunca conhecerá sua beleza divina, pois ele é um cego. Mas o homem que primeiro vê a beleza de seu espírito e sua verdade, esse homem conhecerá o Grande Espírito nessa mulher; se ela quiser deitar-se com ele, ele compartilhará com ela um prazer mais pleno do que poderia imaginar."


-"Você, quando me olhou, não ficou cego com a minha beleza, mas seu primeiro pensamento foi: 'Quem é essa mulher?' 'De onde ela vem?' 'Será ela uma mulher sagrada?'


-"Meu jovem, você também terá o que deseja".


-"Você e seu amigo simbolizam dois caminhos que os homens podem seguir. Se procurar primeiro a sagrada visão do Grande Espírito, estará vendo da mesma maneira que o Criador, e por isso você saberá que aquilo que necessitar da terra chegará às suas mãos. Mas se preferir seguir primeiro, esquecer o Grande Espírito, satisfazer os seus desejos terrenos, você morrerá por dentro".


Foi então que o jovem guerreiro resolveu perguntar quem era ela.

Ela olhou profundamente nos olhos dele e respondeu:


"Eu sou o Espírito da Verdade. Seu povo me conhece como a Mãe dos Mais Velhos; mas como você pode ver, não sou tão velha assim. Sou a Grande Mãe, que vive dentro de cada Mãe, a moça que brinca em cada criança. Sou a face do Grande Espírito, que seu povo esqueceu. Vim para falar para as nações da planície. Vá para sua aldeia e prepare a minha chegada. Tenho algumas coisas a ensinar, coisas sagradas que sua tribo esqueceu.


"O jovem então correu ao seu povo, para transmitir a mensagem de Mulher Búfalo Branco aos Chefes das Sete Fogueiras de sua tribo. Após ouvirem o jovem, toda tribo começou a trabalhar numa enorme cabana, coberta de muitas peles, na qual toda tribo pudesse se reunir.Quando viram Mulher Búfalo Branco se aproximando pela pradaria, ficaram atônitos. Esperavam por alguém de mais idade. E ela parecia uma donzela, graciosa como a relva que se movia em torno dela no crepúsculo. Seu rosto brilhava como uma luz que falava das flores e das mais finas ervas.

Descalça, como sempre andava nas sua viagens pela terra, ela entrou na grande cabana. Seu vestido de pele de Búfalo Branco irradiava a presença de seu espírito. Sem dizer um palavra, andou em círculo em torno do fogo que ardia no centro da cabana. Cada vez que seu delicados pés tocavam a areia ao redor do fogo, os que a observavam sentiam que cada gesto seu era uma prece de profunda reverência à terra.

Devagar, em silêncio, ela contornou o fogo sete vezes.

Quando por fim ela falou, sua voz era como a canção dos pássaros das pradarias.


-"Sete vezes, andei em sete círculos em torno deste fogo, em reverência e silêncio. O fogo simboliza o amor que arde para sempre no coração do Grande Espírito. É o fogo que aquece cada criatura no mundo. Vocês são como um ser único. Esta cabana, feita de muitas peles, é o corpo de vocês. O fogo que arde no centro dela é o amor de vocês.


" Parou um momento e, devagar, curvou-se para tirar um graveto incandescente das chamas. "Este fogo é mais forte que qualquer um de vocês. Seu povo esqueceu, o que é mais precioso que a água. Vocês esqueceram suas ligações com o Grande Espírito.


Eu vim", disse ela erguendo o graveto, "como um fogo do céu para reavivar a memória daquilo que foi, e fortalecê-los para os tempos que virão."Pousou novamente o graveto no fogo e pegou uma sacola de pele que trazia.


-"Nesta sacola, trago um cachimbo para ajudá-los a recordarem os ensinamentos que eu trago. Tratem-no sempre com respeito. Levem-no sempre em sacolas das mais finas peles, enfeitadas pela mãos mais reverentes. Ponham neste cachimbo um tabaco sagrado plantado especialmente para esse fim. Fumem-no com um sentimento de gratidão ao Grande Espírito, de cujo sopro vocês receberam a vida. Usem o fumo para representar seus pensamentos, suas orações e aspirações ao Grande Espírito.


"Até então ela ainda não tinha aberto a sacola na qual estava o cachimbo. Desatou as tiras de couro que a amarrava, e retirou o cachimbo com tal reverência que todos que estavam na cabana, sentiram o coração transbordando e os olhos cheios de lágrimas.


-"Este cachimbo sagrado, e cada tragada de fumo sagrado que vocês inalam pelo seu tubo, ajudará vocês a recordarem que cada sopro de vocês é sagrado. O fornilho do cachimbo é feito de pedra vermelha. Tem o formato de círculo. Simboliza a Roda Sagrada, o sagrado círculo da vida, o dar e receber, da inalação e da exalação, pelo qual todas as coisas vivas ingressam na vida pelo poder do Grande Espírito.


"Pedindo um pouco de tabaco, Mulher Búfalo Branco colocou-o no fornilho do cachimbo dizendo:

"Este tabaco, simboliza o mundo das plantas, o musgo das pedras, as flores, as ervas, as folhas das relvas que cobre a colina para que sua mãe não repouse nua ao sol. Vocês estão aqui para cuidar da terra. Suas vidas são acesas pelo mesmo fogo que arde no coração do Grande Espírito."


Assim falando, ela colocou um pequeno graveto no fogo para que ardesse como chama viva.


"Da mesma forma que acendo esse graveto no grande fogo, assim todo ser humano é uma chama que faz parte do fogo eterno do amor do Grande Espírito.


"Devagar, ela tirou o graveto em chamas do fogo, e ergueu-o para que todos o pudessem ver. "Quando vocês viverem em harmonia com o Grande Espírito, sua chama de amor será vivida sempre por aqueles ventos espirituais. Vocês serão tomados de amor pela própria razão da vida! Acenderão o fogo do amor em todos os que encontrarem. Conhecerão o propósito de sua travessia por esse mundo e saberão que o Grande Ser deu uma chama da vida a todos: não para guardarem sua pequenina chama somente para si, amando apenas aquilo que é necessário às suas vidas, mas sim para que pudessem dar o seu amor, e com o fogo desse amor trazer consciência para a terra.


"Dizendo isto, ela segurou o graveto bem em cima do fornilho vermelho do cachimbo. Encostou a chama bem no centro do cachimbo, aspirando suavemente pelo tubo até o tabaco incandescer. O cheiro do fumo invadiu o ambiente.


"Assim como o tabaco queima neste cachimbo de terra que representa as plantas," continuou Mulher Búfalo Branco, "assim também esse búfalo que vocês vêem entalhados no fornilho de pedra do cachimbo representa as criaturas quadrúpedes que compartilham com vocês esse mundo sagrado. As doze penas que pendem o tubo do cachimbo representam os seres alados com os quais vocês compartilham o grande círculo do céu." Em seguida ela passou o cachimbo ao chefe do conselho dizendo:


-"Tomem este cachimbo. Agradeçam ao Grande Espírito, e passem o cachimbo aos outros do nosso círculo. Que seus pensamentos sejam elevados ao Grande Espírito que vem agora mexer com suas memórias, abrindo os olhos de seus narradores. Cada amanhecer que nasce vermelho no céu do leste, como o fornilho vermelho deste cachimbo, é o nascimento de um novo dia, de um dia sagrado. Lembrem-se sempre de tratar cada criatura como um ser sagrado:


as pessoas que vivem além das montanhas, os pássaros, os peixes e os outros animais, todos eles são irmãs e irmãos de vocês. Todos constituem parte sagradas do corpo do Grande Espírito. Tudo é Sagrado."Neste momento, o cachimbo começa a ser passado de mão em mão. Depois que todos que estavam na cabana deram uma baforada, Mulher Búfalo Branco levantou com reverência o cachimbo para que todos vissem.


-"Levem sempre o cachimbo com vocês. Trate-o como um objeto sagrado. Honrem todas as criaturas e vivam suas vidas em harmonia com o Caminho Sagrado do Equilíbrio de que fala cada árvore, cada flor e cada novo dia. Haverá muitas estações nas quais o coração de vocês se sentirá claro e puro como uma nascente nas montanhas, e vocês conhecerão a paz e a alegria do Grande Espírito. Mas, se vocês sentirem que se afastaram da trilha do Caminho Sagrado, se seus corações passarem a pesar dentro de vocês, não percam tempo em arrependimento. Ensinar-lhe-eis uma cerimônia," disse ela acendendo o cachimbo mais uma vez no fogo sagrado, "uma cerimônia que cada um de vocês pode fazer em companhia de outros, a sós em suas tendas, ou lá fora, na pradaria."Ela deu uma pequena baforada no cachimbo e disse:


-"Parem suas atividades. Procurem uma pedra sobre a qual sentar. Rogando orientação do Grande Espírito. Acendam o cachimbo e deixem que o fornilho vermelho lhes lembre a sagrada escritura, o caminho da vida, o trilho vermelho do sol. Depois de ter aspirado seu fumo em honra do Grande Espírito, em honra da Mãe Terra, em honra dos animais e das pessoas que são fiéis à realidade, depois de ter dado graças as quatro direções, então aspirem uma vez mais para pedirem orientação aos grandes seres alados do mundo dos espíritos. Peça-os para ajudá-los a ver o melhor procedimento a seguir. Peçam para que eles ajudem a vocês fazerem a escolha mais sábia e a reconhecer os passos que devem tomar na trilha que seu EU mais profundo escolher para vocês. Isso permitirá que o fogo que arde dentro de vocês fale em termos claros, sem interrupções. Peça que os seres espirituais que os cercam, entrem em sua vida. Diga-lhes que desejam ajudá-los e ao Grande Espírito no seu trabalho, e perguntem-lhes como fazer isto. Ao ajudarem o Grande Espírito, vocês se ajudarão.

Os seres humanos não são inteiramente felizes nem saudáveis senão quando servem aos propósitos para os quais o Grande Espírito os criou."Novamente ela entregou o cachimbo, para que fosse passado de mão em mão. Durante muito tempo, Mulher Búfalo Branco permaneceu em silêncio, mesmo após ser completado o círculo de baforada no cachimbo. Quando falou novamente, comparou seus ensinamentos a uma árvore; uma árvore que iria florescer à medida que tomavam a si essas coisas, plantando-as no coração de cada um e aplicando-as no dia a dia.


-"Durante longo tempo," ela continuo-o, "vocês viverão sob a sombra sagrada da Árvore da Compreensão que estou plantando nas suas consciências. E, nas gerações vindouras, seu povo estará unido novamente no Sagrado Círculo da Vida. Infelizmente, essa árvore será derrubada depois de algumas gerações. A árvore parecerá morrer. A Roda Sagrada murchará até ser esquecida. Alguns poucos manterão a luz da verdade ardendo nos seus corações, mas a luz será fraca e, mesmo neles, passará a ser uma brasa pequena e imperceptível."Guardando o cachimbo na sacola, ela continuou:


-"Mas a brasinha permanecerá. Em silêncio, continuará. Mesmo quando vocês tiverem sua terras invadidas, vendidas e roubadas. Essa brasa ainda manterá sua luz acesa, e saibam, meu povo: um grande fogo pode sair de uma única brasa!"


"Quando a tempestade passar, essa brasa acenderá um alvorecer mais forte do que qualquer outra alvorada. Uma nova árvore crescerá, mais gloriosa do que esta que agora deixo com vocês. Com o novo alvorecer, eu voltarei e viverei com vocês. Debaixo da sombra dessa árvore, estarão reunidos não somente as tribos vermelhas, mas as tribos brancas, as tribos negras e as tribos amarelas, vindo de todas as direções. Em harmonia, as quatro raças viverão sob os ramos da nova árvore. Tudo que foi quebrado será refeito por inteiro. A Roda Sagrada será consertada. A comida será farta e os espíritos de todas as criaturas alegrar-se-ão na harmonia de uma nova ordem, perfeita. O Grande Espírito, estará atuando dentro das raças, vivendo, respirando, criando através dos povos da terra. A paz virá as nações.


"Despediu-se dizendo que voltaria um dia, então transformou-se num Búfalo Branco, e sumiu envolta nas nuvens e nunca mais foi vista."Grandes mudanças estão a caminho com o nascimento do Búfalo Branco."Com o nascimento de um Búfalo Branco, em 1994, em Janesville, no estado de Wisconsin, nos Estados Unidos. Torna-se mais próximo o cumprimento da profecia sagrada de que irá surgir uma nova idade de unificação e espiritualidade global, enchendo-nos de uma esperança maior para o novo milênio.


Ah Hey Ah!

Por Todas as Nossas Relações!


quarta-feira, 19 de março de 2008

A Filosofia de Aloha

O ESPÍRITO DE ALOHA
de Serge Kahili King tradução de Ivonete R. Mascara (Vivi).

O Espírito de Aloha é uma referência bem conhecida da atitude de aceitação amistosa pela qual as Ilhas Havaianas são bem famosas.
No entanto, também se refere a uma maneira poderosa de resolver qualquer problema, atingir qualquer meta e, ainda, atingir qualquer estado de mente ou espírito que se deseje. Na língua havaiana Aloha significa muito mais do que "alô" e "adeus" ou "amor" .

Seu significado maior é: compartilhar (alo) com alegria (oha) da energia da vida (ha) no presente (alo)".

Ao compartilharem essa energia, vocês se tornarão conectados ao Poder Divino que os havaianos chamam de mana. E o uso amoroso deste Poder incrível é o segredo para se obter saúde, felicidade, prosperidade e sucesso verdadeiros. A maneira de se conectarem a este Poder e fazer com que ele opere a seu favor é tão simples, que vocês poderão ficar tentados a descartá-la como sendo fácil demais para ser verdade. Por favor, não se deixem enganar pelas aparências.
Esta é a técnica mais poderosa no mundo e, embora seja extremamente simples, pode vir a se tornar difícil, uma vez que precisarão se lembrar de fazê-la - e será necessário fazê-la REPETIDAMENTE.

Trata-se de um segredo passado à humanidade por inúmeras vezes e, mais uma vez agora, de uma outra maneira. O segredo é este: Abençoem todos e tudo que representem o que vocês desejam. É só isso. No entanto, qualquer coisa tão simples assim requer alguma explicação. Abençoar algo significa reconhecer ou dar ênfase a uma qualidade, característica ou condição positivas, com a intenção de que aquilo a que se reconhece ou enfatiza venha a crescer, perseverar (persistir) ou vir a ser.
Em primeiro lugar, o foco positivo de sua mente mexe com a força positiva, criativa, do Poder. Segundo, move a sua própria energia para fora, permitindo que uma parte maior do Poder passe através de vocês.Terceiro, quando vocês proferem bênçãos para o benefício de outros, ao invés de o fazerem para si mesmos, há a tendência de se ultrapassar quaisquer medos subconscientes a respeito do que se deseja para si mesmo; e, também, o próprio foco em si sobre os atos de abençoar faz com que o mesmo bem aumente na própria vida. A beleza desse processo é que a bênção proferida em favor de outros ajuda a estes, bem como a vocês mesmos. As bênçãos podem ser proferidas com a ajuda de visualização ou toque; porém, a maneira mais comum e fácil de fazê-lo é através de palavras.
Os principais tipos de bênçãos verbais são:


- ADMIRAÇÃO: Trata-se do ato de cumprimentar ou louvar algo bom que se note. Ou seja, "Que belo pôr-do-sol; gosto de seu vestido; você é tão divertido."


- AFIRMAÇÃO: Trata-se de uma declaração específica de bênção para aumento ou continuação do estado descrito: "Abençôo a beleza desta árvore; abençoada seja a saúde de seu corpo."


- APRECIAÇÃO: Trata-se de uma expressão de gratidão a respeito de algo bom que existe ou que tenha ocorrido: "Obrigado, Deus, por me haver ajudado; agradeço à chuva por nutrir a terra."


- EXPECTATIVA: Trata-se de uma bênção para o futuro: "Teremos um ótimo piquenique; abençôo sua renda sempre crescente; obrigado(a) pela(o) minha(meu) companheira(o) perfeita(o); desejo-lhe uma ótima viagem; que o vento sopre sempre a seu favor."


A fim de se obter o maior benefício possível de uma bênção, vocês terão de desistir ou renunciar à única coisa que a anula: o ato de amaldiçoar. Isto não se refere a palavrões, mas ao oposto da bênção; ou seja, criticar, ao invés de admirar; duvidar, ao invés de afirmar; culpar, ao invés de apreciar; e se preocupar, ao invés de aguardar com confiança. Quando quer que tais atitudes sejam tomadas, elas tendem a cancelar alguns dos efeitos da bênção.


Assim, quanto mais vocês amaldiçoarem, mais difícil e demorado será obter bons resultados da bênção. Por outro lado, quanto mais se abençoar, menos mal farão as maldições.